sexta-feira, 3 de maio de 2013

Estilo de Vida: exercício



Estava refletindo esses dias sobre meu estilo de vida, que está o tempo todo em constante transformação, e como as pessoas sempre me perguntam, resolvi compartilhar.
Eu me lembro que com 9 anos fui matriculada em uma academia junto com a minha madrasta. Íamos juntas, mas ela nunca malhava de verdade, só ficava na bicicleta e queria que eu a acompanhasse. Logo paramos, e eu tive uma fase longa sedentária e gordinha. Já cheguei a 73 quilos com 1,64m! Aos 15 resolvi retomar a academia porque gostava, mas nunca levei a sério, portanto quase não tive resultado, pelo contrário!
Desde meus 17 anos de idade, tomei gosto pela corrida. Não me lembro como tudo começou, simplesmente deu vontade e fui tentando aos pouquinhos. Tive que parar para estudar pro vestibular e depois retomei com tudo, no início com caminhadas e trotes (recomendado para quem quer começar), até conseguir completar um percurso inteiro correndo. Era bem assim (vamos ver se consigo explicar pra quem não é de Brasília): eu morava na quadra da minha mãe, uma quadra composta por duas quadras distintas, mas com uma única entrada para os prédios, forma tipo um quadradão. Comecei contornando o lado que era da quadra da minha mãe, ia caminhando, virava e subia até uma outra quadra que ficava mais em cima. Quando chegava ao final da direção e tinha que virar novamente, começava a correr (onde a seta vermelha está pintadinha), atravessava a rua andando, ia pra outra quadra correndo, virava e começava a descer de novo até chegar à quadra que fica junto com a da mãe. Ao final, antes de fazer a volta novamente e chegar em casa, já tinha perdido o fôlego e ora voltava andando ora correndo. Aos poucos os tempos de caminhada diminuíram e os de corrida aumentaram, e comecei a fazer essa voltona só correndo. Olha aí o percurso (Se não me engano deve dar uns 4km):


Foi assim que tudo começou :) aos poucos senti vontade de ir aumentando o percurso, e ia fazendo esse quadradão de quadras até o fim da Asa Sul, acrescentando mais quadras ao meu trajeto. Logo que eu conseguia ir até o fim, comecei a fazer um caminho sem voltas em quadras, retinho do ponto de partida (só que pro outro lado), da quadra da minha mãe até a última quadra da Asa Sul. Dá um total de cerca de 10 quilômetros, e eu fazia esse trajeto todo dia, correndo cerca de uma hora por dia. Nossa, como era bom! Lembro que no ápice desse momento cheguei até a devanear e escrever um textinho sobre o prazer de correr. Era viciante, a ponto de eu ficar com peso na consciência nos dias em que não corria! Comparado a uns anos atrás, cheguei a perder dez quilos. A rotina era essa: comer, esperar 30-40 minutinhos, alongar, começar a corrida lá pras 18 horas, voltar, fazer um pouco de musculação em casa mesmo (eu tinha os pesinhos, as caneleiras, o tapete, experiência de academia e um padrasto educador físico) e me alongar bem. Depois, com a faculdade, o horário de exercício mudou para de manhã, e fez toda a diferença na minha vida, pois eu percebia que eu rendia mais ao longo do dia, tinha mais disposição e concentração.

19 aninhos, magrinha e com os cabelos curtinhos!
Mantive essa rotina por bastante tempo, mas como a vida de estudante é cheia de altos e baixos comecei a me atarefar demais com trabalhos e estudos, e logo com estágios, portanto relaxei e parei de me exercitar com frequência. Logo, voltei a ganhar os quilinhos, apesar de de vez em quando fazer alguma coisa, mas sem o compromisso de mantê-la. Depois de perceber que eu tinha praticamente voltado para o mesmo lugar, juntei todas as minhas forças de vontade e refiz a minha rotina: eu tinha que voltar para o exercício, e não só pra recuperar o corpo que eu tinha conquistado, mas para melhorá-lo e porque eu sentia falta do meu condicionamento, da minha performance e de correr especificamente. Chegava a ponto de eu ver uma pessoa correndo na rua e me sentir mal porque eu não estava correndo!
Tá, mas e agora? Como começar? Afinal, as circunstâncias tinham mudado novamente! Antes até deu pra me adaptar aos novos horários, mas cheguei a um ponto em que eu estava trabalhando e estudando e meus turnos estavam sempre cheios, mas eu simplesmente precisava. Como incluir uma rotina de exercício se seus horários estão repletos de 8-23 horas? A única alternativa era acordar antes das 8. Pois é minha gente, complicado né? No ano passado a minha rotina ficou bem assim: eu acordava as 6, comia, me aprontava e ia as 6:30 pra aula de cycling/spinning das 6:45 da manhã. Uma aulinha de 45 minutos. Tinha sorte de morar perto da academia e do meu trabalho das 8, portanto conseguia conciliar o tempo: a aula acabava as 7:30, eu ia direto para o chuveiro da academia, me arrumava e ia trabalhar, chegando no máximo 10 minutos atrasada. Daí nesse meio tempo ainda parava pra comprar meu café da manhã ou antes de sair de casa preparava para levar.
Calma, eu sei, você deve ter pensado: sua louca, como dá conta!? Todo mundo ficava de cara quando eu contava, principalmente porque estava trabalhando no turno da manhã em um local, em outro local no turno da tarde e indo para o cursinho a noite. No começo era muito difícil acordar, eu sentia sono, preguiça e tudo o mais, mas percebia que o meu dia rendia demais nos dias que eu malhava cedo e de menos quando eu escolhia dormir mais uma hora antes de trabalhar. Calma, também não virei nenhuma senhora fitness, minha rotina era pesada e me deixava muito cansada, portanto eu tirava as segundas/quartas/sextas para o spinning, terças e quintas ia correr quando tinha pique (eu realmente sentia muito sono!), e os sábados eram reservados para uma hora de spinning ou uma hora e meia de dança (o famoso Tribal Fusion que tanto falo!). E consegui voltar a perder peso!
1 horinha de pedal! Bom demais!
E a musculação? Pois é, meu tempo era muito curto, eu visava a perca de peso e queria me dedicar aos aeróbicos. A musculação entrava apenas quando me sobrava um tempo, e geralmente mais aos sábados.  Mas a rotina da gente muda, e, querendo ou não, correr ou pedalar exige que seu corpo tenha certa estrutura e resistência. Uma hora seu corpo desgasta, e seus músculos precisam de estímulos para sustentar tantos impactos. Daí as coisas mudaram: esse ano comecei a trabalhar só de tarde e algumas vezes por semana tenho pós graduação. Yes, mais tempo pra academia! Isso mesmo, a musculação está entrando aos poucos na minha rotina, e apesar de as vezes ser cansativo fazer todas aquelas repetições e esforços pra levantar peso, o resultado vale a pena, e comecei com duas vezes por semana, agora passei pra três, almejo quatro e espero chegar a ponto de aliar meus exercícios aeróbicos com os anaeróbicos diariamente (exceto o dia de descanso, que geralmente é no domingo).
Minha rotina anterior era a seguinte: faço de uma a duas aulas de spinning (45 minutos) segunda, quarta e sexta e ainda emendava com a musculação. Terça/Quinta, dia de corrida, 60 minutos, cerca de 8-10 quilômetros, variando das velocidades 7.5 a 11 da esteira.
Hoje (post atualizado em 14.08.13) isso já mudou, segunda e quinta eu corro de 11 a 14km, terça e sexta 7km + musculação (braço) e quarta e sábado musculação (pernas) + 5km. A corrida é intensa, apesar de prazerosa, cansa, e pra variar troco a corridinha de sábado por uma aulinha de uma hora de spinning. É isso! Amo demais!

8 quilômetros e muitas calorias! :)
Running na Esteira: Com paciência e perseverança!
Work Out!

De vez em quando, aos domingos, pego para pedalar na rua ou participar de uma corrida tranquila, de 5 km. As de 10k eu ainda pretendo tentar pela primeira vez, hehe...

Corridinha de 5km do VIII Jogos Internos Bacen 2012
Apesar de estar na casa dos 20, meu corpo não é o mesmo dos 17 anos, minha resistência mudou e alguns probleminhas de saúde apareceram, como a síndrome vasovagal, problema na perna, no joelho, dorzinha aqui, acolá, etc. Hoje não tenho pressa, não quero perder peso em poucos dias, não faço dietas malucas, estou bem comigo mesma, recuperando um peso saudável aos poucos, e falta pouco para o peso que me coloquei como meta. Não tenho pressa, mas tenho objetivos.
Quanto a quem quer começar, vá com calma, um corpo que não costuma se exercitar demora um pouquinho pra se adaptar à rotinas de exercícios. Dá aquela dorzinha desviada chata, dói tudo no dia seguinte, mas vale a pena, acredite.

Eu poderia estender minha postagem para falar da alimentação, que é tão ou mais importante que a atividade física para se ter um bom desempenho físico (perder peso, ganhar massa muscular ou simplesmente sentir-se bem consigo mesmo), mas justamente pela importância da coisa vou compor um devaneio um pouquinho mais específico sobre alimentação. O meu intuito hoje foi divagar sobre a vida que quero pra mim e compartilhar as minhas experiências com vocês. Futuramente prometo mais fotos e resultados, estou num processo e ainda tenho metas a atingir! E apesar disso, eu relembro: é um estilo de vida, a maneira que quero viver a minha vida porque me sinto bem com tal rotina, não é passatempo ou fase, é coisa séria. Sabe aqueles velhinhos bonitinhos que caminham de mãos dadas, fazem yoga e pilates? Quero ser que nem eles, até o fim. :)

Idade: 23 anos
Altura: 1,64m
Peso Atual: 65,5
Peso Mínimo: 60,0
Peso Meta: 58,0
Objetivo: Chegar ao peso meta, reduzir o percentual de gordura e aumentar a massa magra. E vamo que vamo!

____________________________________


Sites que me inspiram (tipo que eu leio todo dia, caso você também precise de uma inspiração):

Pensando Magro História e experiências da Camilla Pires
Acredita Bonita História e Dicas da Penélope Nova
Frango com Batata Doce Receitinhas!



Correndo 10k

Dia de malhar perna!

Meu recorde atual :)



2 comentários:

Willmondes Will disse...

Bonito e incentivante depoimento, Luiza.

Também não descuido, principalmente com minhas corridas.

Abç!

Elaine Cristina disse...

Força de vontade Luíza. Você já é linda e maravilhosa, vai ficar maravilhosa e linda!!